arrowLeftProjetos 2019

Laureado dos Prêmios Rolex de Empreendedorismo 2019

João Campos-Silva

O maior peixe de escamas de água doce do planeta o arapaima está sendo levado pela correnteza da extinção. Mas, em estreita colaboração com associações locais e líderes do setor pesqueiro, o ecologista brasileiro João Campos-Silva, especializado em ictiologia (o estudo de peixes) definiu um plano não apenas para salvar o arapaima, como também para garantir os meios de subsistência, a alimentação e a cultura das comunidades nativas, que dependem dos rios da região para sobreviver.

Compartilhe com seus amigos os projetos inspiradores dos Prêmios Rolex de Empreendedorismo 2019.

"O arapaima é um peixe fantástico, a começar pelo fato de que é enorme, podendo alcançar 3 metros de comprimento e pesar 200 kg. Desde tempos imemoriais, ele vem alimentando os povos da Amazônia", explica ele. No entanto, a pesca predatória, a fragmentação do habitat e a poluição das águas dizimaram as populações selvagens até chegarem ao perigo de extinção em muitos lugares.

João Campos-Silva já mostrou que a espécie pode ser salva. A proteção de pequenos lagos conectados aos rios na região oeste da Amazônia resultou em uma recuperação espetacular da espécie, multiplicando por 30 o número de arapaimas. O fato de os lagos terem sido fechados à pesca também teve como consequência o aumento das populações de peixe-boi, ariranha, tartaruga-da-amazônia e jacaré-açu – espécies seriamente ameaçadas de extinção. A recuperação da fauna aquática transformou-se em uma nova fonte de renda para as comunidades carentes que vivem na floresta, atraindo milhares de dólares para a região.

As comunidades locais têm contribuído para o restabelecimento da população do maior peixe do planeta.

João Campos-Silva

Atualmente com 36 anos, João Campos-Silva pretende transpor essa experiência para 60 outras comunidades, tendo como meta multiplicar por quatro o número de peixes em apenas três anos. "Os lucros obtidos serão destinados à construção de escolas, à criação de postos médicos e à geração de empregos em atividades ligadas à indústria de pesca, em particular para mulheres", explica ele. Salvar o arapaima da extinção constitui, portanto, um antídoto contra a pobreza.

"O arapaima é o peixe que está transformando a Amazônia. O manejo do arapaima pela comunidade local é o fio de esperança que vem fazendo renascer o otimismo em muitas pessoas". João Campos-Silva espera que, com o tempo, a ideia de salvar a fauna para salvar comunidades humanas se espalhe mundo afora.