George van DriemTesouros inexplorados do Himalaia

Publicado em 1996icon-clockTempo de leitura: 0min 45s
icon-scroll-down

Durante mais de 30 anos, George van Driem percorreu o Himalaia com o objetivo de salvar da extinção as línguas nativas da região.

localizaçãoNepal

O neerlandês George van Driem, especialista em linguística, costuma passar vários meses ao ano percorrendo os vales do Himalaia para registrar a gramática de idiomas nativos em via de extinção. À medida que foi ganhando vulto, seu projeto passou a abranger outras disciplinas, como genética e arqueologia, que contribuem para o mapeamento da história linguística e migratória de uma das mais complexas regiões do planeta.

Dispor de uma gramática escrita confere status e prestígio às línguas minoritárias, além de tornar possível o ensino dessas línguas.

Esse trabalho de documentação da riqueza linguística local foi feito em colaboração com uma equipe de pesquisadores e resultou na elaboração de mais de 20 gramáticas. Juntamente com seus estudantes em Berna, capital da Suíça, George van Driem continua coeditando as obras. O linguista neerlandês, que chega a passar cinco meses por ano no Himalaia em total imersão na comunidade que ele estiver estudando, criou recentemente a Bern Summer School of Descriptive Linguistics.

Em 2015, grande parte do Nepal, principal foco de suas pesquisas, foi vítima de uma série de terremotos que deixaram mais de 9 mil mortos. George van Driem e seus estudantes participam de campanhas para levantar fundos destinados àqueles que perderam seus familiares ou ficaram desabrigados.

  • 3.600

    Quilômetros é a extensão da cordilheira do Himalaia

  • 300 ou mais

    Línguas nativas existem no Himalaia

Programa

Prêmios Rolex de Empreendedorismo

Descubra mais