Pablo García BorborogluSalvar as espécies de pinguins ameaçadas de extinção

Publicado em 2019icon-clockTempo de leitura: 1min 52s
icon-scroll-down

Desde 1960, dois terços das aves marinhas do planeta desapareceram, e os pinguins estão entre as mais ameaçadas. Esse desaparecimento alarmante incitou o conservacionista argentino Pablo García Borboroglu a realizar uma campanha mundial de luta contra as principais ameaças para as aves. As ações compreendem a coleta de dados essenciais para saber como favorecer a sobrevivência dos pinguins, a criação de um programa educativo mundial para sensibilizar as comunidades e escolas locais e a colaboração com proprietários de terras e autoridades locais e nacionais para tentar influenciar positivamente as decisões passíveis de afetar a preservação dos pinguins — por exemplo, a criação e o manejo de novas áreas marinhas protegidas.

localizaçãoArgentina

“Das 18 espécies de pinguins existentes no planeta, a União Internacional para a Conservação da Natureza (UICN) considera que mais da metade está ameaçada de extinção. Durante os últimos 30 anos, 14 delas foram reclassificadas como mais ameaçadas”, explica García Borboroglu, fundador e presidente da Global Penguin Society.

“Os pinguins são excelentes indicadores da saúde dos oceanos, pois são sensíveis a todas as alterações em seu habitat. As aves enfrentam ameaças não apenas na terra, quando constroem seus ninhos, mas também quando nadam milhares de quilômetros no oceano em busca de alimentos ou durante migrações. Portanto, estão expostos a ameaças como mudanças climáticas, poluição e má gestão da pesca. Porém, na terra, perturbações causadas pelos seres humanos ou a introdução de novos predadores também afetam os pinguins”, salienta.

“Entre os aspectos mais preocupantes, está a redução dos alimentos decorrente da pesca predatória e das mudanças climáticas que forçam os pinguins a viajarem distâncias cada vez mais longas para capturar os peixes de que precisam para alimentar os filhotes. Eles nadam centenas de quilômetros, mas ao retornarem, muitas vezes encontram os filhotes mortos de inanição”.

Das 18 espécies de pinguins existentes no planeta, considera-se que mais da metade está ameaçada de extinção.

Pablo García Borboroglu

Pablo García Borboroglu vem pesquisando a vida dos pinguins e trabalhando para salvá-los há mais de 30 anos, desde que testemunhou a morte anual de 40 mil deles causada por vazamentos de petróleo na Patagônia, nos anos 1980. “Quando soltei o primeiro na natureza, tive um estalo: percebi que iniciativas individuais podiam ter um impacto enorme. Foi aí que comecei a pensar em ações mais amplas”.

Seu projeto compreende três componentes: ciência, educação e manejo das espécies e dos habitats dos pinguins.

O primeiro é gerar conhecimento científico sobre aspectos essenciais relativos a fatores biológicos e ecológicos de três espécies principais, presentes na Argentina, no Chile e na Nova Zelândia, para formular recomendações que possam nortear a elaboração de medidas para sua preservação.

Em seguida, mobilizar comunidades e alunos de escolas locais na Argentina e no Chile para estudar e ajudar a preservar os pinguins. Essa fase também compreende excursões escolares para conhecer colônias, mutirões de coleta de lixo no litoral para proteger os pinguins, desenvolvimento de projetos de ecoturismo sustentável e criação de um kit educativo on-line para distribuição mundial.

Por fim, García Borboroglu trabalha com proprietários de terras e autoridades governamentais para tentar influenciar positivamente as decisões passíveis de afetar a preservação dos pinguins. Isto exige o uso do conhecimento científico acumulado para desenvolver estratégias de gestão adaptativas e estabelecer o processo de criação de Áreas Marinhas Protegidas para os pinguins poderem construir seus ninhos e se alimentar.

“Ao preservar os pinguins, preservamos a vida marinha. Vale lembrar que os oceanos são extremamente importantes para a qualidade da vida no planeta, pois proveem alimentos, oxigênio e regulam o clima. Este projeto é essencial para tratar dos principais problemas ambientais, e essa é uma questão que diz respeito ao mundo inteiro”. Até hoje, seu trabalho beneficiou 1,6 milhão de pinguins, ajudando a proteger 32 milhões de hectares de habitats e envolveu milhares de crianças em atividades educacionais.

  • 18

    Espécies de pinguins existentes no planeta

  • 50%

    Porcentagem de espécies ameaçadas de extinção

Programa

Prêmios Rolex de Empreendedorismo

Descubra