arrowLeftProjetos 2019

Laureado Associado dos Prêmios Rolex 2019

Pablo García Borboroglu

A diminuição alarmante das populações de pinguins em diversas regiões do planeta foi o impulso que levou o ecologista argentino Pablo García Borboroglu a lançar uma campanha internacional para tentar descobrir o que está errado e como podemos salvar essas magníficas e frágeis aves marinhas.

Compartilhe com seus amigos os projetos inspiradores dos Prêmios Rolex de Empreendedorismo 2019.

"Das 18 espécies de pinguins existentes no planeta, considera-se que mais da metade está ameaçada de extinção. Para a maioria dessas espécies, a situação está ficando cada vez pior", explica o ornitólogo García Borboroglu, presidente da Global Penguin Society.

“Os pinguins são verdadeiros indicadores da saúde dos oceanos, pois são sensíveis a todas as alterações em seu habitat”. Entre as ameaças mais preocupantes, estão a pesca predatória e as mudanças climáticas, que reduzem a disponibilidade dos alimentos e  forçam essas aves a partirem para regiões cada vez mais distantes, em busca de peixes para alimentar os filhotes. "Eles são obrigados a nadar por centenas de quilômetros para encontrar comida. Ao voltarem, muitas vezes encontram os filhotes mortos de fome".

Das 18 espécies de pinguins existentes no planeta, considera-se que mais da metade está ameaçada de extinção.

Pablo García Borboroglu

Pablo García Borboroglu vem pesquisando a vida dos pinguins e trabalhando para salvá-los há mais de 30 anos. Até hoje, seu trabalho beneficiou 1,6 milhão de pinguins, ajudando a proteger 13 milhões de hectares de habitat e envolveu milhares de crianças em atividades educacionais.

O primeiro passo de seu projeto é ampliar o conhecimento científico sobre três espécies principais – o pinguim-de-magalhães, o pinguim-rei e o pinguim-de-fiordland, presentes na Argentina, no Chile e na Nova Zelândia. Em seguida, com base nesses dados científicos, ele pretende elaborar recomendações que possam se traduzir em medidas de preservação dessas espécies. Sua ideia é mobilizar comunidades e escolas locais na Argentina para estudar e ajudar a preservar os pinguins, fazendo dessa experiência um modelo para outros países. Além disso, deseja colaborar com proprietários de terras e autoridades locais e nacionais para tentar influenciar positivamente as decisões passíveis de afetar a preservação dos pinguins – por exemplo, o planejamento e o manejo de novas áreas marinhas protegidas.