Alexandra LavrillierA escola nômade

Publicado em 2006clockTempo de leitura: 50s
scroll-down

As crianças que vivem em regiões selvagens da Sibéria não precisam mais ser separadas dos pais para receber educação escolar. Isso é possível graças a Alexandra Lavrillier, idealizadora de uma escola itinerante que mescla um moderno programa de ensino e a cultura tradicional dos Evenks, cada vez menos praticada.

localizaçãoSibéria

As crianças dos povos nômades Evenk, que vivem na parte sudeste da Sibéria, são geralmente separadas da família aos seis anos de idade e enviadas para internatos. A etnóloga francesa Alexandra Lavrillier, casada com um nômade Evenk, criou uma escola itinerante para oferecer às crianças dessa população a oportunidade de receber uma educação moderna, sem precisar deixar a família nem renegar as tradições ancestrais da cultura nômade.

[As crianças Evenk] não precisam mais escolher entre a vida nômade e a vida na cidade.

O projeto idealizado por Alexandra Lavrillier foi coroado de sucesso. Cerca de 150 crianças da etnia Evenk com idade entre 4 e 13 anos seguiram um programa educativo que associa práticas tradicionais – como a criação de renas e a caça à zibelina, ensinadas por seus pais durante a travessia das vastas florestas no rude inverno –, e o uso de novas tecnologias de aprendizado. Os estudantes aprendem noções de informática e inglês em aulas que seguem o currículo escolar oficial da Rússia, fator decisivo para que as autoridades do país reconhecessem a escola e concordassem em financiar parte do equipamento escolar e o salário dos professores. Com a verba que recebeu do Prêmio Rolex, Alexandra Lavrillier contratou 15 indivíduos da etnia Evenk com título universitário para formar a equipe de professores, que passam vários meses ao ano viajando de acampamento em acampamento. Para as crianças, a escola nômade representa a oportunidade de estar em contato com dois universos – o moderno e o tradicional. O mais importante, porém, tanto para elas como para Alexandra Lavrillier, é que a cultura ancestral dos Evenks será preservada por muitas e muitas gerações futuras.

  • -50 °C

    Temperatura extrema registrada na região da taiga siberiana

  • 2006

    Ano em que Alexandra Lavrillier criou a escola itinerante

  • 30.000

    Pessoas, é o que resta da população Evenk na Rússia

Programa

Prêmios Rolex de Empreendedorismo

Descubra

Compartilhe esta página