Amanda VincentUrgência em salvar o cavalo-marinho

Publicado em 1998clockTempo de leitura: 45s
scroll-down

A preservação do patrimônio natural mundial para as gerações futuras é uma das causas que anima Amanda Vincent em sua luta pela conservação de peixes marinhos – em particular dos cavalos-marinhos.

localizaçãoFilipinas

O uso dos cavalos-marinhos na medicina tradicional, como curiosidades e nos aquários há muito tem posto em risco esses peixes. Mas a bióloga marinha Amanda Vincent, criadora do Projeto Cavalo-Marinho, já conquistou várias vitórias para sua proteção.

Que fique bem claro, sou fascinada por cavalos-marinhos, mas meu trabalho evoluiu. É muito mais político.

O lobby promovido por ela contribuiu para angariar apoio entre os 181 países signatários da CITES (Convenção sobre o Comércio Internacional de Espécies da Flora e Fauna Selvagens em Perigo de Extinção) para a proteção das populações de cavalos-marinhos.

Todo o trabalho do Projeto Cavalo-Marinho é baseado em pesquisas de ponta que são convertidas em ações de conservação de alta eficiência em colaboração com governos, comunidades locais e outras partes interessadas.

Entre as várias iniciativas lançadas por Vincent, o app iSeahorse vem sendo usado pelos cientistas cidadãos dos quatro cantos do mundo para registrar imagens de cavalos-marinhos e construir um impressionante banco de dados. Vincent acredita que o envolvimento do público em geral nesse tipo de pesquisa é essencial. Sua atividade de lobista e as campanhas desenvolvidas abrangem todo o meio ambiente marinho.

Vincent ocupa a cadeira de professora titular no Institute for the Ocean and Fisheries da Universidade da Colúmbia Britânica, no Canadá.

  • 7

    Espécies de cavalo-marinho descritas como “vulneráveis” – de um universo de 38 espécies avaliadas até o momento – da Lista Vermelha de Espécies Ameaçadas.

  • 25 milhões

    Cavalos-marinhos são comercializados anualmente

Programa

Prêmios Rolex de Empreendedorismo

Descubra

Compartilhe esta página