Erika CuéllarGuardiã do Gran Chaco sul-americano

Publicado em 2012icon-clockTempo de leitura: 0min 55s
icon-scroll-down

Embora seja um dos últimos espaços realmente selvagens da América do Sul, a região de Gran Chaco vem assistindo à deterioração de seu ecossistema. A bióloga conservacionista Erika Cuéllar capacita as populações locais para que protejam sua extraordinária biodiversidade.

localizaçãoBolívia, Argentina e Paraguai

Ancestral selvagem do lhama, o guanaco é um animal com pelagem cor de areia que no passado vivia em rebanhos numerosos na savana seca do sul da Bolívia. Mas, com a chegada do homem à região, muitas árvores foram derrubadas. Ao se instalar, as famílias começaram a construir cercas e a caçar esse gracioso animal para se alimentar.

O que me motiva é a preservação de todo o Gran Chaco. A sobrevivência futura do guanaco significa a sobrevivência futura de uma grande variedade de espécies menores e mais raramente observáveis.

Como resultado, a população de guanacos diminuiu drasticamente. Na região de Gran Chaco, imenso território selvagem que abrange vários países, subsistem apenas três rebanhos isolados, com cerca de 200 animais, na Bolívia, no Paraguai e na Argentina.

Erika Cuéllar decidiu montar um curso em “parabiologia” com o objetivo de ensinar métodos de preservação às comunidades. Com uma primeira turma de 17 bolivianos originários dessa região, o trabalho teve início com um levantamento da situação alarmante dos rebanhos de guanaco e com uma campanha de conscientização em favor de um uso mais responsável do solo. Erika Cuéllar vem capacitando as pessoas que vivem em contato direto com a terra para que se comprometam com a sua preservação.

O trabalho de Erika Cuéllar é um fio de esperança na luta para impedir que o ecossistema do Chaco continue se deteriorando. O programa de capacitação em parabiologia que ela desenvolveu foi ampliado para a Argentina e o Paraguai, em colaboração com biólogos conservacionistas locais. Erika Cuéllar se empenha para que as autoridades dos três países trabalhem de mãos dadas.

A bióloga entrou para a lista dos 17 Emerging Explorers selecionados pelo National Geographic em 2013. No mesmo ano, foi nomeada, pela imprensa boliviana, Personalidade do Ano na categoria Realizações Sociais. Erika Cuéllar exportou o conceito de parabiólogos para Omã, país em que as regiões áridas não recebem a devida atenção, e onde é possível organizar iniciativas em favor da preservação ambiental com a participação ativa da população local.

  • 1 milhão de km2

    Área do Gran Chaco

  • 4 milhões

    De pessoas vivem na região de Gran Chaco

  • 90%

    Da savana do Gran Chaco foi devastada nos últimos 40 anos

Programa

Prêmios Rolex de Empreendedorismo

Descubra