Joseph CookA floresta tropical que veio do gelo

Publicado em 2016clockTempo de leitura: 50s
scroll-down

Para o especialista em microbiologia polar Joseph Cook, a camada superficial do manto de gelo do Ártico se assemelha a uma “floresta glacial”. Sua pesquisa é uma viagem de descoberta que revela como nosso planeta é afetado pelos micro-organismos da camada de gelo da Groenlândia.

localizaçãoGroelândia

O gelo da Terra é o habitat de trilhões de micro-organismos. Com sua missão Ice Alive, Joseph Cook, especialista em microbiologia polar, nos faz descobrir esse ecossistema praticamente ignorado e seu efeito nos ciclos climático, nutricional e de carbono do planeta.

É uma paisagem fascinante, serena, na qual rios gigantescos esculpem seus leitos em meio aos tons de azul-neon, rosa e verde do gelo. Está longe de ser o deserto imaculado e vazio que as pessoas imaginam.

Joseph Cook já realizou cinco viagens de campo ao Ártico. A próxima está programada para 2017 e será financiada pelo Prêmio Rolex. Sua equipe vai aprofundar o estudo sobre a influência dos micróbios do gelo no clima e coletar indícios de seus efeitos nas atividades humanas. Segundo Joseph Cook, essas descobertas poderão “afetar nosso próprio futuro”.

Desde que visitou a camada de gelo da Groenlândia pela primeira vez, Joseph Cook é fascinado pelo Ártico. O cientista pretende compartilhar sua paixão e suas descobertas por meio de uma série de filmes, palestras, publicações e exposições. Uma parte dos recursos do Prêmio Rolex será usada para realizar o documentário Ice Alive, continuação do seu premiado curta-metragem Life on Earth’s Cold Shoulder.

  • Um trilhão

    Estimativa do número de micro-organismos que vivem nos dois metros superficiais da camada de gelo da Terra

  • 0.1 ̶ 1.0

    Temperatura em graus Celsius na qual se verifica uma atividade intensa dos organismos do gelo ártico

Programa

Prêmios Rolex de Empreendedorismo

Descubra

Compartilhe esta página